Siga o Porto Alegre 24 Horas no Google News Entre no grupo do Whatsapp

Do Sul21

A população de Porto Alegre vive um dos momentos mais delicados desde o início da pandemia do coronavírus, em março. Nesta quarta-feira (09), 93,99% dos leitos de UTI da Capital estavam ocupados. Em alguns hospitais, como o Moinhos de Vento, o Ernesto Dorneles e o Independência, não havia nenhum leito disponível nesta tarde, de acordo com plataforma de monitoramento da Prefeitura.

Embora o número de pacientes com diagnóstico ou suspeita de contaminação pela covid-19 nas unidades de terapia intensiva não seja o maior já registrado – são 319 nesta tarde e já passaram de 340 em agosto -, a situação é tão grave ou pior em razão da demanda provocada também por outras doenças. Além disso, a média móvel de contaminação e óbitos vem crescendo rapidamente nas últimas semanas.

No Estado, a taxa de ocupação das UTIs também é alta. Nesta tarde, estava em 83,5%, com lotação total na rede privada e de 76,9% no SUS. Eram 907 casos confirmados de covid, 190 casos suspeitos e outros 1.027 referentes a outras enfermidades.

Alguns hospitais indicam a gravidade da situação começando a restringir atendimentos. Hoje, o São Lucas da PUCRS anunciou restrição de atendimento na emergência por 48 horas, desde as 13h, dando prioridade aos casos mais graves.

Nas últimas 24 horas, foram confirmados 73 novos óbitos pelo coronavírus no RS. O Estado já tem 7.388 vítimas fatais da doença. Outro indicador preocupante é o número de novos casos da doença: foram 5.050 confirmações de ontem para hoje. Naquele que era considerado o pico da pandemia até aqui, o Estado registrava números bastante inferiores de contaminação diária.