Siga o Porto Alegre 24 Horas no Google News

As IPTVs piratas cresceram ainda mais durante a pandemia da COVID-19, com isso, as iniciativas de combate também se acirraram.

Na prática, vendedores indicam um aplicativo para os interessados e fornecem um login, a custo de uma mensalidade simbólica e muito baixa.

Dessa forma, todos conseguem acessar diversos canais da TV por assinatura sem ter que arcar com valores mais altos, contratos de fidelidade e instalação de equipamentos.

No exterior, a captura de membros que estavam por trás de grandes operações de IPTV pirata tornou o caminho mais curto até os consumidores.

O primeiro país que adotou a prática foi o Reino Unido.

Mais de sete mil residentes receberam cartas de notificação, onde eram incentivados a desistir do serviço ou sofreriam as punições legais do país.

Todos eram usuários do serviço Nort West IPTV, cujo o responsável foi detido.

No país, a pena máxima é de cinco anos de encarceramento ou multa.

Os usuários receberam notificações pelos correios locais, assim como mensagens de e-mail e avisos na própria TV.

As mensagens no televisor destacam que o IP do usuário foi gravado e ele teria que desistir do serviço imediatamente, para não sofrer punições.

No Brasil, também já houve relato de um usuário que recebeu uma carta de cobrança após fazer o download ilegal de um filme.

Fonte: minhaoperadora.com.br