Siga o Porto Alegre 24 Horas no Google News

Do Sul21

Enquanto manchetes de jornais e comentários de internautas tratam os profissionais de saúde como heróis do enfrentamento à pandemia de covid-19, representantes de trabalhadores do setor em Porto Alegre realizaram manifestações nesta semana contra a proposta do Sindicato dos Hospitais e Clinicas de Porto Alegre (Sindihospa) de não conceder reajuste salarial à categoria.

Sob o lema “Palmas não bastam! Recomposição salarial para quem salva vidas!”, manifestantes realizaram um protesto diante do Hospital Mãe de Deus nesta quinta-feira (7).

“É covarde, é covarde demais o que os gestores de hospitais estão fazendo. Há mais de um ano os trabalhadores da saúde vêm passando por falta de EPI, falta de afastamento, sobrecarga absurda de trabalho, jornadas acima do permitido. Daí os patrões não querem dar o mínimo reconhecimento, que seria pelo menos recompor a inflação? Uma inflação que ficou em 2,46% para abril de 2020. Faz meses que o salário vem sendo arrochado e nada de mudança na postura da gestão. Estamos fazendo a luta por pessoas que sequer podem ir para as ruas se mobilizar por seus direitos, porque têm que salvar vidas. Esse é o reconhecimento dos patrões? Esses são os gestores que merecemos?”, declarou o diretor do Sindisaúde-RS, Arlindo Ritter

Na quarta (6), o Sindisaúde já havia realizado um ato da mesma campanha, com apoio da CUT-RS, diante do Hospital Moinhos de Vento. “Não basta ter apenas solidariedade para com os trabalhadores da Saúde. É preciso ter um acordo coletivo que reponha as perdas salariais desses profissionais que atuam diuturnamente para salvar vidas”, disse o presidente da CUT-RS, Amarildo Cenci, na ocasião.