Siga o Porto Alegre 24 Horas no Google News Entre no grupo do Whatsapp

O prefeito de Porto Alegre, Sebastião Melo (MDB), anunciou na segunda-feira, 4, que a rede municipal irá adotar o “tratamento precoce” contra o coronavírus. O município irá oferecer medicamentos como a hidroxicloroquina, ivermectina, vitamina D e zinco, drogas que não têm comprovação científica de eficácia no combate à Covid-19. Além da implantação do tratamento precoce contra a doença, o prefeito também anunciou a flexibilização das medidas de enfrentamento à pandemia no município.

Com o novo decreto, restaurantes, bares, lanchonetes e shoppings não terão horário para o início do funcionamento definido. Serviços de delivery e drive-thru poderão funcionar sem restrição de horário. Comércio essencial de rua, como farmácias e supermercados, irão funcionar sem limite de ocupação. O anúncio foi feito em transmissão ao vivo nas redes sociais. O decreto começa a valer a partir desta terça-feira, 5.

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) usou suas redes sociais nesta manhã para atribuir a baixa mortalidade de em países africanos à ivermectina. “Nota-se a baixíssima taxa de óbitos por Covid em países africanos. No programa, a distribuição em massa da ivermectina pode ser a responsável pela baixa mortalidade da Covid-19 nesses países”, sugeriu Bolsonaro.

Desde o início da pandemia, o presidente vem recomendando o tratamento precoce com hidroxicloroquina e ivermectina no combate à doença. Sebastião Melo não quis comentar sobre a eficácia dos medicamentos. O prefeito da capital do Rio Grande do Sul afirmou que a decisão sobre a prescrição do tratamento deve ser tomada entre médico e paciente. No momento, Porto Alegre registra 78.339 casos e 1.878 óbitos por Covid-19. No Rio Grande do Sul, a taxa de mortalidade está em 2%, segundo o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS). (Jovem Pan)