Siga o Porto Alegre 24 Horas no Google News

Segundo técnicos da equipe econômica do governo, a liberação do Auxílio Emergencial pode ocorrer em até três semanas. No momento a equipe do governo segue discutindo quem terá acesso as parcelas bem como a definição sobre o seu valor.

Com relação aos valores, na última declaração do presidente Jair Bolsonaro na semana passada que revelou a volta do auxílio, o presidente não indicou quais serão os valores pagos pela nova rodada de pagamentos.

Contudo, o ministro da Economia, Paulo Guedes, defende a tese de que o benefício precisa ser pago com valor de R$ 250 e por fim terminar com pagamentos de R$ 200. Além disso a indicativa do governo é de que o benefício seja liberado em mais três parcelas, sendo liberadas entre os meses de março à junho.

Mudanças importantes

Alguns pontos são bem importantes com relação a nova rodada de pagamentos do auxílio emergencial. Dentre estes pontos podemos citar a alteração no número de beneficiários, inicialmente o governo havia informado que apenas metade dos beneficiários iriam receber a nova liberação, o que seria aproximadamente 32 milhões de pessoas.

Porém nas últimas declarações de membros do governo o auxílio emergencial deve ser liberado para 40 milhões de pessoas, 8 milhões a mais do que na previsão anterior. Além disso os beneficiários do Bolsa Família podem ser incluídos nessa nova rodada. A projeção da pasta é realizar um filtro do programa, com foco na população que pertence às camadas mais baixas de pobreza.

Outro ponto que chama atenção é com relação as mães solteiras, no ano passado as mães chefes de família tinham direito de receber o benefício dobrado, onde nas primeiras parcelas de R$ 600 as mães solteiras receberam R$ 1.200 e nas últimas parcelas residuais de R$ 300 as mães solteiras recebiam R$ 600. (Jornal Contábil)