Siga o Porto Alegre 24 Horas no Google News

O Governo Federal liberou um novo passo a passo para o beneficiário que deseja tirar dúvidas ou consultar informações relacionadas aos pagamentos do auxílio emergencial. Para isso, basta ter em mãos o seu CPF para que o processamento seja feito pela Dataprev.

Além da consulta, uma cartilha contendo informações sobre como o cidadão pode verificar sua situação em relação ao benefício também foi disponibilizada.

Outra forma de consultar o saldo disponível para movimentação, pagamentos, saques e transferências é por meio do aplicativo Caixa Tem, que pode ser instalado em sistema Android e iOS.

Auxílio emergencial 2021

O presidente Bolsonaro reafirmou que o governo federal estuda a possibilidade de prorrogar por “mais alguns meses” o pagamento do benefício. O auxílio emergencial, criado para reduzir os impactos econômicos decorrentes da covid-19, foi encerrado no fim do ano passado.

O presidente, afirmou que “No momento, a nossa equipe, juntamente com parlamentares, estuda a extensão por mais alguns meses do auxílio emergencial, que – repito – o nome é ‘emergencial’. Não pode ser eterno porque isso representa um endividamento muito grande do nosso País e ninguém quer o País quebrado”.

Segundo Paulo Guedes, ministro da Economia, a nova proposta do auxílio emergencial no valor de R$ 200 durante três meses, depende da aprovação das propostas em negociação no Senado e do Orçamento de 2021. Guedes, ressalta que precisa de segurança jurídica, sendo ela uma declaração de calamidade ou uma reformulação na edição da PEC do orçamento de guerra.

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), fez uma cobrança ao ministro da Economia, para que o novo benefício seja liberado. Lira declarou que “Urge que o ministro Guedes nos dê com sensibilidade do governo uma alternativa viável” para o retorno do auxílio emergencial.

O Presidente da República, posteriormente, assegurou que “entendíamos, juntamente com Parlamento – deputados e senadores aqui presentes que votaram favorável nestas questões – que havia a necessidade” do retorno do benefício. (Jornal Contábil)