Siga o Porto Alegre 24 Horas no Google News

Letícia Torquato Pereira, de 15 anos, está desaparecida há pelo menos quatro meses, quando foi vista pela última vez nas imediações da Usina do Gasômetro, local onde ela teria dito aos avós que estava indo. Ela morava na Rua Demétrio Ribeiro, no Centro Histórico de Porto Alegre. A Polícia Civil investiga o desaparecimento da adolescente.

A jovem teria saído de casa junto com sua irmã de 11 anos, elas foram até o apartamento da mãe, mas como ela não estava acabaram retornando e foram em direção a um laboratório fotográfico, onde iria encontrar a avó materna, Dirlei Torquato, 67 anos. Na ocasião a menina deixou a irmã com a avó, que comunicou à polícia, que a adolescente sumiu em uma sexta-feira, no dia 18 de setembro. A ocorrência foi registrada na segunda, 21.

A última informação que a avó teve, foi que Letícia teria ido em um churrasco na noite de sexta-feira (18) e somente na terça-feira (23), acabou recebendo uma ligação da neta, que dizia que estava na casa de uma amiga, que estava bem e voltaria para casa em dois dias. Logo após a jovem desligou o telefone bruscamente.

— Nem cheguei a conversar com ela. Quando vi, a minha outra neta já estava ali comigo. A Letícia disse para ela que ia até a Usina do Gasômetro, mas não voltou mais. Ela saiu só com a roupa que estava, não levou documentos, nada — disse Dirlei.

Familiares buscam por ajuda nas redes sociais e pedem para que as pessoas ajudem a encontrar a menina. Eles acabaram inclusive contratando um especialista em criminologia, que agora acompanha o caso a pedido da família.

A delegada Cristiane Ramos, da Delegacia de Polícia para a Criança e o Adolescente Vítima, investiga o caso e prefere não dar muitos detalhes da investigação.

— A partir do momento em que a polícia foi procurada pela família, concentramos todos os esforços para ouvir pessoas que tiveram contato com ela. As informações que a família nos apresenta estão sendo todas esgotadas. É uma adolescente. Todas as possibilidades são avaliadas e nenhuma pode ser descartada. Estamos usando todos os meios possíveis para chegar ao paradeiro e ao que efetivamente aconteceu com essa menina — disse a delegada Cristiane.

Qualquer informação que possa levar ao paradeiro de Letícia, pode ser comunicado através do WhatsApp (51)984440606 ou pelo Disque Denúncia, no 181. As informações são de GZH.