Siga o Porto Alegre 24 Horas no Google News

Através de um comunicado, a farmacêutica Merck, fabricante do remédio ivermectina, afirmou que não existem evidências científicas sobre a eficácia do uso do medicamento contra covid-19. O remédio, que é indicado para o combate de infestações de parasitas, como vermes e piolhos, chegou a ser recomendado pelo Ministério da Saúde para tratamento precoce da doença causada pelo novo coronavírus.

Segundo a nota, os cientistas da Merck examinaram cuidadosamente as descobertas de todos os estudos disponíveis sobre o uso de ivermectina em pacientes com covid-19, mas até o momento, não foi encontrada evidências de um efeito positivo do remédio entre esses doentes.

“Não acreditamos que os dados disponíveis suportem a segurança e eficácia da ivermectina além das doses e populações indicadas nas informações de prescrição aprovadas pela agência reguladora”, diz o comunicado da empresa.

No Brasil, o uso do ivermectina ganhou força durante a pandemia e passou a ser o campeão de buscas em plataforma de consulta de medicamentos.

Ao lado da cloroquina, a ivermectina é um dos remédios que tem sido amplamente defendidos pelo presidente Jair Bolsonaro no tratamento da covid-19.

O TrateCov, aplicativo do Ministério da Saúde, chegou a apresentar a ivermectina como tratamento indicado para covid-19. Informação que mais tarde foi retirada do ar.

Veja abaixo o comunicado da Merck na íntegra:

A Merck (NYSE: MRK), conhecida como MSD fora dos Estados Unidos e Canadá, afirma hoje sua posição em relação ao uso de ivermectina durante a pandemia de Covid-19. Os cientistas da empresa continuam a examinar cuidadosamente as descobertas de todos os estudos disponíveis e emergentes de ivermectina para o tratamento de Covid-19 para evidências de eficácia e segurança. É importante observar que, até o momento, nossa análise identificou:

– Nenhuma base científica para um efeito terapêutico potencial contra Covid-19 de estudos pré-clínicos;

– Nenhuma evidência significativa para atividade clínica ou eficácia clínica em pacientes com doença Covid-19, e;

– A preocupante falta de dados de segurança na maioria dos estudos.

Não acreditamos que os dados disponíveis suportem a segurança e eficácia da ivermectina além das doses e populações indicadas nas informações de prescrição aprovadas pela agência reguladora.

Via Catraca Livre