Siga o Porto Alegre 24 Horas no Google News Entre no grupo do Whatsapp

Após seis meses de investigação, a Polícia Civil prendeu em São Leopoldo (Vale do Sinos) um artista plástico gaúcho de 49 anos, foragido desde a sua condenação – em 2003 – pelo latrocínio de um empresário paraense nos Estados Unidos, em março de 1999. O crime foi cometido em uma suíte do luxuoso hotel Waldorf Astoria, em Nova York.

A captura foi realizada em um residência por integrantes de uma operação deflagrada nesta semana pela corporação gaúcha, após receber informação de que o homem teria vindo para o Rio Grande do Sul ao menos desde setembro do ano passado e estaria eventualmente circulando em São Leopoldo. O nome dele constava na lista de procurados da Interpol.

Crime e condenação

De acordo com o processo, o artista plástico e então modelo fugiu do hotel no dia 19 de março de 1999, após matar o antiquário João Alberto Sabóia, 56 anos – o corpo foi encontrado por funcionários do estabelecimento 24 horas depois.

O Ministério Público (MP) apontou que o autor do crime levou consigo uma bolsa contendo 30 mil dólares, um relógio Rolex e outro Piaget, uma corrente de ouro, um anel com pedra de rubi e outros pertences da vítima, com quem estava a passeio no Exterior na condição de acompanhante.

O caso gerou grande repercussão, inclusive na imprensa norte-americana, e o acusado acabou preso em 2002 mas obteve liberdade, escondendo-se desde então, morando em diversas cidades.

Condenado no ano seguinte (já em segunda instância) pela Justiça do Rio de Janeiro a uma pena de 22 anos de prisão pelo latrocínio do empresário, pesava contra ele um mandado válido até 2023, quando o crime prescreveria.

Fonte: O Sul