Foto: Divulgação/Polícia Civil

Dono de posto de combustíveis é preso em Porto Alegre

Bomba adulterada entregava menos combustível do que a quantidade adquirida pelos consumidores

Compartilhe esta notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on whatsapp

A Polícia Civil, a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis, o Procon e fiscais do Inmetro realizaram, nesta quarta-feira (17), uma operação conjunta para coibir fraudes em bombas e testar a qualidade dos combustíveis vendidos em Porto Alegre.

O proprietário de um posto localizado no bairro São João, na Zona Norte, foi preso por crime contra as relações de consumo e crime contra a ordem econômica. O nome do estabelecimento não foi divulgado pela polícia.

Durante a Operação Combustível Legal, foi constatado que quatro bicos de uma bomba apresentavam erros acima do permitido, ocasionando a entrega de menos combustível do que o comercializado pelo posto, resultando em prejuízo ao consumidor.

A bomba adulterada foi interditada pelo Inmetro até a correção das irregularidades detectadas. Também foram coletadas informações de notas fiscais dos últimos 30 dias para verificação do real prejuízo ocasionado aos consumidores. Acredita-se que o proprietário do posto auferiu um lucro ilegal mensal de R$ 5 mil.

Segundo o delegado Joel Wagner, a fraude em bombas de combustíveis significa que o consumidor está pagando por uma quantidade do produto maior do que a que realmente foi colocada em seu veículo.

Na loja de conveniência, o Procon constatou a venda de mercadorias fora do prazo de validade e a utilização de produtos vencidos no preparo de alimentos para comercialização. (O Sul)