Siga o Porto Alegre 24 Horas no Google News Entre no grupo do Whatsapp

“Melhor que o Estado faça escolhas agora do que médicos tenham que fazer escolhas sobre quem vive e quem morre”, afirmou o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, em postagem nas redes sociais.

Leite rebateu, no sábado (06), críticas da deputada federal Bia Kicis (PSL-DF), apoiadora do presidente Jair Bolsonaro, sobre as medidas mais restritivas adotadas pelo governo gaúcho para tentar conter a pandemia de coronavírus no Estado.

“Fiquem atentos. Esse governador quer ser candidato à Presidência da República. Você está disposto a entregar as escolhas da sua família ao Estado?”, escreveu a parlamentar no Twitter.

Na sexta-feira (05), Leite anunciou que manterá todas as regiões em bandeira preta e sem cogestão no sistema de Distanciamento Controlado até dia 21 deste mês. Já a suspensão geral de atividades não essenciais entre 20h e 5h ficará vigente até o dia 31.

No Twitter, o governador também rebateu, neste fim de semana, críticas do jornalista Rodrigo Constantino, que questionou: “Você vai decidir o que pode ou não ser comercializado agora, governador? Isso não é tirania da pior espécie?”.

Leite respondeu: “Por questão de saúde pública, só estabelecemos restrições em mercadorias que pagam ICMS. Caráter e opinião os que gostam de vender ainda podem, embora não se recomende”.

Fonte: O Sul