Siga o Porto Alegre 24 Horas no Google News Entre no grupo do Whatsapp

O PSol protocolou, nesta terça-feira (30/3), representação contra a deputada federal Bia Kicis (PSL-DF) no Conselho de Ética da Câmara dos Deputados e pediu que a parlamentar bolsonarista seja afastada da presidência da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) por quebra de decoro parlamentar.

A representação foi protocolada um dia depois de Bia Kicis publicar mensagem em rede social, incentivando um motim de policias militares contra o governador da Bahia, Rui Costa (PT).

O incentivo foi publicado pela parlamentar no Twitter, em comentário sobre a morte do soldado da PM Wesley Soares Góes, no domingo (28/3), após ter invadido o gramado em frente ao Farol da Barra, em Salvador, capital da Bahia, e ter disparado pelo tiros para o alto e contra a corporação.

Após ter sido alertada que o Góes estaria tendo um surto, a bolsonarista apagou a mensagem.

“A deputada federal Bia Kicis tem longo histórico de propagação de notícias falsas, teorias da conspiração, bem como uso de retórica virulenta contra a democracia”, disse a deputada Talíria Petrone (RJ), líder do partido na Câmara.

O pedido foi assinado pelo presidente nacional do partido, Juliano Medeiros, e todos os parlamentares da bancada.

A CCJ, sob Kicis, vem sendo marcada por sessões tumultuadas. Até então, em cinco reuniões, não conseguiram votar nenhuma proposta e uma delas terminou com troca de ofensas entre petista e bolsonarista. A deputada também vem sendo criticada por muitas vezes não utilizar a máscara corretamente durante as sessões do colegiado.

Tabata Amaral

Da mesma forma, a deputada federal Tabata Amaral (PDT-SP) entrou com outra representação no Conselho de Ética também contra Kicis. Ela assina o documento com os advogados Felipe Gallo, Júlia Oliveira e Renan Freitas.

Eles solicitam que a parlamentar seja processada e condenada com a perda do mandato parlamentar por incentivar um motim junto à Polícia Militar da Bahia.

Metrópoles