Siga o Porto Alegre 24 Horas no Google News Entre no grupo do Whatsapp

Luís Eduardo Gomes | Sul21

A Associação dos Transportadores de Passageiros de Porto Alegre (ATP-POA) informou na tarde desta segunda-feira (19) que encaminhou à Prefeitura que o cálculo da tarifa técnica a ser solicitada pela entidade para o reajuste da passagem de ônibus da Capital será de R$ 5,20. A ATP destaca ainda que este valor só será possível com a condição de que as empresas recebam permissão para reduzir em 20% o tamanho de suas frotas.

A tarifa de ônibus de Porto Alegre foi congelada em 2020 em razão da pandemia de covid-19 em R$ 4,70, sendo reduzida para R$ 4,55 em novembro com a extinção da cobrança pelo custo do gerenciamento da Câmara de Compensação Tarifária (CTT).

O valor deveria ter sido revidado novamente em fevereiro deste ano, mas a Prefeitura firmou um acordo para manter o congelamento por mais 90 dias em troca da abertura de negociações para a revisão do contrato de licitação do transporte coletivo da Capital e do pagamento de R$ 16 milhões para as empresas. O prazo para a negociação vence no início de maio.

Antes de entrar em vigor, o pedido de reajuste deve passar por votação do Conselho Municipal dos Transportes Urbanos (Comtu) e aprovação do prefeito Sebastião Melo (MDB).

“O ano de 2020 não teve atualização da passagem e o ano de 2021 também não. Nós bancamos R$ 16 milhões nesses três meses de pandemia e não temos mais dinheiro, então a passagem vai ter que ser atualizada. Agora, isso vem de uma proposta dos operadores, passa pelo Comtu e a palavra final é do prefeito”, disse Melo em áudio encaminhado à imprensa.

O prefeito afirmou ainda que participou de reuniões na manhã desta segunda e que deve continuar debatendo o tema na próxima quarta-feira (21) na Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC).

“Nós vamos avaliar. O certo é que não tem dinheiro público para botar, nós vamos ter que encontrar uma solução. Essa solução não está dada ainda e até o final do mês tem que ser resolvida”.

Caso o reajuste seja confirmado, os R$ 0,65 de acréscimo representam um aumento de 14,28%.