Siga o Porto Alegre 24 Horas no Google News Entre no grupo do Whatsapp

Do Sul21

Prefeitos da Região Metropolitana de Porto Alegre, liderados pelo presidente do Consórcio dos Municípios da Região Metropolitana de Porto Alegre (Granpal), Sebastião Melo (MDB), devem pressionar o governo do Estado por uma flexibilização ainda maior das atividades em meio à pandemia do coronavírus.

Embora todo o Rio Grande de Sul esteja em bandeira preta no modelo do Distanciamento Controlado em função do número reduzido de leitos de UTI livres, o retorno da cogestão, há cerca de 10 dias, já permite que regiões adotem protocolos da bandeira vermelha. O objetivo dos prefeitos agora é a classificação em bandeira vermelha, que na prática permite adotar protocolos de bandeira laranja.

Na próxima quinta-feira (22), Melo deve se reunir com o Gabinete de Crise do Governo do Estado para defender a posição. “Estamos avançando de forma consistente na vacinação, a ocupação hospitalar está em redução e trabalhamos fortemente nas fiscalizações. De forma responsável e comprometidos com os protocolos, a maioria dos prefeitos avalia que temos condições de avançar no funcionamento das atividades”, afirma o prefeito de Porto Alegre.

Melo também defende o retorno das aulas presenciais, hoje impedido por decisão judicial. Uma ação de 28 de fevereiro, movida pela Associação Mães e Pais Pela Democracia, vem garantindo a suspensão das aulas no RS. O governador Eduardo Leite (PSDB) já se reuniu até mesmo com o ministro Nunes Marques, do STF, na tentativa de obter uma medida cautelar que derrube as decisões anteriores e permita a volta às aulas, mas até agora não obteve sucesso.