Siga o Porto Alegre 24 Horas no Google News Entre no grupo do Whatsapp

Pouco antes de a Escola Infantil Pró-Infância Aquarela, um colégio infantil em Saudades, município catarinense distante 600 km de Florianópolis, ser isolada para perícia, a secretária municipal de Educação, Gisela Hermann, visitou o endereço palco de um ataque que deixou cinco mortos.

A creche, que atende crianças entre 6 meses e 2 anos, foi invadida por um jovem de 18 anos que atacou funcionários e crianças a golpes de facão na manhã desta terça-feira (4/5).

“Chegamos lá, uma cena de terror. Consegui entrar na escola. Tinha um cara deitado no chão, mas ainda vivo, uma professora morta, uma criança morta também. A sala estava fechada, não deixaram a gente entrar”, contou a secretária ao deixar a escola.

Entre as vítimas estão três crianças, uma professora e uma funcionária, que chegou a ser socorrida, mas não resistiu aos ferimentos.

Segundo informações preliminares da Polícia Civil de Santa Catarina, o jovem usou uma adaga, para desferir os golpes.

Investigação

O delegado Jerônimo Marçal Ferreira, responsável pela investigação do ataque, quer saber do histórico comportamental e de saúde mental do jovem para entender o que motivou o crime.

Inicialmente, segundo o investigador, o rapaz não tem passagens pela polícia. Agora, familiares serão ouvidos para traçarem o perfil do agressor. “Ainda não temos o histórico pessoal dele”, adiantou.

Jerônimo Marçal, em entrevista coletiva no fim da manhã, contou detalhes da dinâmica do ataque. “Ele começou atacar a professora, que correu para uma sala onde estava as crianças”, destacou.

Metrópoles