Foto: EFE | EPA

China volta a detectar transmissão local do coronavírus após mais de três semanas

País contabilizou sete novas contaminações, entre elas duas de transmissão local na província de Anhui

Compartilhe esta notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on whatsapp

A Comissão Nacional de Saúde da China anunciou a detecção de sete novos positivos para o coronavírus, incluindo duas infecções locais, ambas diagnosticadas na província de Anhui, após mais de três semanas sem transmissões desse tipo no país. Segundo a agência de notícias estatal “Xinhua”, investigações preliminares mostram que um desses pacientes teve contato com um viajante estrangeiro na cidade de Dalian, e depois se encontrou com o outro infectado.

As autoridades restringiram o movimento de residentes nas áreas afetadas e iniciaram testes de ácido nucleico. Entre as outras cinco infecções diagnosticadas, três foram detectados em viajantes do Cantão, um em Xangai e um em Fujian. O total de novos positivos diários ficou abaixo de dez pela segunda vez seguida. As autoridades também relataram 22 novos casos assintomáticos, que não são incluídos nas estatísticas oficiais, o que elevou o número de pessoas nessa situação em observação para 328.

Além disso, a Comissão Nacional de Saúde disse que, até a 0h desta sexta-feira (local, 13h de quinta-feira em Brasília), 13 pacientes tiveram alta após terem sido curados da Covid-19. Com isso, há 285 casos ativos em todo o país, incluindo uma pessoa em estado grave. De acordo com os relatos da instituição, desde o início da pandemia, 90.815 pessoas foram infectadas no país, entre as quais 85.894 foram curadas e 4.636 morreram. Até o momento, 1.013.881 contatos próximos dos infectados foram monitorados clinicamente, dos quais 5.445 permanecem sob observação. (Jovem Pan)