Reprodução

Diretor do Butantan diz que, sem insumos, produção da CoronaVac acaba nesta semana

Declaração foi feita nesta segunda-feira (10)

Compartilhe esta notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on whatsapp

Do Sul 21

Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan, declarou que a produção da CoronaVac tem insumos para cumprir o contrato de 46 milhões de doses entregues ao Programa Nacional de Imunização até sexta-feira (14). Porém, depois disso, não existe mais material para prosseguir com a imunização.

Durante coletiva, nesta segunda-feira (10), o governo de São Paulo, sob o comando de João Doria (PSDB), informou que o estado tem condições de concluir a vacinação contra Covid-19 de todos os grupos anunciados até o momento.

Entretanto, Covas destacou que serão entregues mais 1 milhão de doses da CoronaVac na quarta-feira (12), 1,1 milhão, na sexta-feira (14), mas “a partir daí, não teremos mais vacinas”.

“A situação não teve nenhuma alteração. Aguardamos a autorização para embarque [de Pequim] e a chegada até o dia 18 [de maio]”, afirmou.

“O cronograma de vacinação a partir de junho poderá sofrer algum impacto”, acrescentou, ressaltando que “possuía informações” de que a situação para a produção da vacina Covishield, produzida pela Fiocruz no Brasil, enfrentava problema semelhante.

Bolsonaro

Na última semana, o diretor do Butantan criticou os ataques feitos por Jair Bolsonaro contra a China. Disse, ainda, que as declarações foram determinantes para atrasar a liberação de embarque do Insumo Farmacêutico Ativo (IFA). Bolsonaro insinuou que o coronavírus teria sido criado em laboratório.

“É muito claro que há uma limitação determinada pelo governo da China, dada as circunstâncias das constantes manifestações inapropriadas, inadequadas e inoportunas do governo brasileiro”, afirmou Doria.