Foto: Divulgação | EPTC

EPTC alerta para alta no número de mortes no trânsito em abril

Manequins amarelos são colocados em diferentes pontos da cidade para lembrar que cada número representa uma pessoa, uma família

Compartilhe esta notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on whatsapp

A Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) registrou alta nos números da acidentalidade no mês de abril. Em relação ao mesmo mês do ano passado, foram quatro vidas perdidas a mais, de duas para seis, o que representa um aumento de 200%. O número de feridos em razão de acidentes também aumentou. Este quase 63%, de 239 registros em 2020 para 389 em 2021. O aumento da circulação das pessoas para suas atividades é um dos fatores que impulsionam os números, mas a EPTC alerta para mais prudência no trânsito.

As seis pessoas que morreram em razão de acidentes são homens, todos motociclistas e três deles sem CNH ou com documento irregular. No acumulado do período de janeiro a abril, são 86% do sexo masculino contra 14% feminino. Outro fator de alerta é quanto ao turno: das 20 vítimas em 2021, nove foram em decorrência de acidentes no turno da madrugada (das 00 às 05:59), enquanto em 2020 foi apenas um. Em 2019, foram registrados 1035 acidentes e desses 236 com envolvimento de motocicletas. O número de abril de 2021 com envolvimento de motocicletas é 18% mais alto (são 279 acidentes).

“Muitas pessoas que estavam em home office retomaram às atividades presenciais. O nosso apelo é para que as pessoas circulem com mais cuidado”, destaca o diretor-presidente da EPTC, Paulo Ramires. A empresa já reforçou a operação Duas Rodas, que alerta para itens de segurança, documentação e estado de conversação das motocicletas. Além disso, está em contato com as empresas de entrega, setor que cresceu nos últimos meses, para passar dicas de segurança aos profissionais da área.

O acumulado de janeiro a abril segue em redução, de 25 em 2020 para 20 em 2021, 20% a menos de mortes. Assim como o número geral de acidentes, que baixou de 3145 ano passado para 3078 neste ano, o que representa 2% a menos.

Ações educativas que alertam para empatia, responsabilidade e solidariedade no trânsito são realizadas pela EPTC no mês de maio, que marca o Movimento do Maio Amarelo. A campanha que ocorre em todo mundo alerta para o alto índice de mortos e feridos no trânsito. Neste ano, manequins amarelos são colocados em diferentes pontos da cidade para lembrar que cada número representa uma pessoa, uma família atingida pela violência no trânsito. Os dados são do Observatório de Mobilidade da EPTC e podem ser acessados no site EPTC Transparente.

Ações:

Manequins amarelos – Instalados durante o dia, pelo menos três vezes por semana em pontos diferentes da cidade, o material representa as pessoas. Não se trata apenas da representação do pedestre, parte mais vulnerável, mas cada um dos atores. Os veículos não circulam sozinhos, pessoas conduzem. Esses motoristas, motociclistas, pedestres e ciclistas devem estar atentos e ser responsáveis pela segurança não só deles, mas também dos outros. Isso ocorre por meio da empatia e respeito.

No Limite da Via – A gerência de Fiscalização de Trânsito, em conjunto com a coordenação de Educação para a Mobilidade, programou pelo menos três operações semanais chamadas No Limite da Via. Na atividade, os agentes abordam motoristas que circulam na velocidade permitida e parabenizam os condutores por suas atitudes que auxiliam na segurança do trânsito.

Pedestre Seguro – A operação objetiva garantir a correta utilização das travessias de pedestres para minimizar os riscos de acidentes. Nas ações, os agentes de fiscalização orientam transeuntes e condutores sobre o respeito à sinalização e às normas de circulação e conduta em áreas de densa movimentação. (PMPA)