Foto: Saulo Ângelo | Futura Press

Por falta de matéria-prima, Instituto Butantan paralisará produção de CoronaVac nesta sexta-feira

A fabricação será retomada assim que a China enviar os produtos; ‘Questões referentes à diplomacia podem estar interferindo na liberação de novos lotes de insumos ao país’, disse a organização

Compartilhe esta notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on whatsapp

Devido à falta de matéria-prima, o Instituto Butantan comunicou nesta quinta-feira, 13, que a produção da vacina CoronaVac será paralisada amanhã. À Jovem Pan, a organização reforçou que a produção do imunizante contra a Covid-19 será retomada assim que mais insumos chegarem da China.

“O Butantan aguarda autorização do governo chinês para a liberação de mais matéria-prima necessária para a produção da vacina. Questões referentes à relação diplomática Brasil e China podem, sim, estar interferindo diretamente no cronograma de liberação de novos lotes de insumos”, esclareceu a instituição em nota.

Segundo a produtora das vacinas, ruídos na relação diplomática entre os países podem dificultar o envio de insumos porque “não há qualquer entrave relativo à disponibilização de IFA ao Butantan por parte da biofarmacêutica Sinovac”, o laboratório chinês responsável pelo desenvolvimento do imunizante.

O instituto também anunciou que, até o momento, já distribuiu ao Programa Nacional de Imunizações (PNI) 46,112 milhões de vacinas. Apenas nesta sexta-feira, 14, serão entregues 1,1 milhão de doses da CoronaVac. “Todo o insumo recebido em 19 de abril já foi processado. Após a entrega desta sexta-feira, a produção será retomada assim que mais insumos chegarem”, completou o Butantan. (Jovem Pan)