Atenção! Governo anuncia aplicação da 3ª dose da vacina contra Covid-19 a partir de setembro – Porto Alegre 24 horas

Atenção! Governo anuncia aplicação da 3ª dose da vacina contra Covid-19 a partir de setembro

Segundo Ministério da Saúde, a partir do dia 15 de setembro, toda a população com mais de 18 anos já vai ter sido vacinada com pelo menos a primeira dose da vacina.
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Compartilhe esta notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on whatsapp

Idosos com mais de 70 anos e pessoas imunossuprimidas (transplantadas recentemente, com câncer, queimaduras graves, etc) que tomaram a segunda dose da vacina há pelo menos seis meses receberão a terceira dose do imunizante contra a Covid-19. O anuncio foi feito pelo ministro da saúde, Marcelo Queiroga, na noite desta terça-feira (24),

Segundo Queiroga, o grupo prioritário irá receber a dose de reforço a partir do dia 15 de setembro. A escolha da data se dá pelo fato de que, conforme os cálculos realizados pelo Ministério da Saúde, toda a população com mais de 18 anos já vai ter sido vacinada com pelo menos a primeira dose da vacina. O imunizante escolhido pra dose de reforço será a Pfizer.

A informação com a vacinação da terceira dose acima de 70 anos foi confirmada em nota divulgada pelo Ministério da Saúde nesta quarta-feira (25). A decisão veio depois de uma reunião na noite dessa terça-feira com técnicos do Ministério da Saúde e representantes da OPAS (Organização pan-americana de Saúde).

Queiroga disse ainda que a decisão levou em conta o andamento da aplicação da segunda dose na população em geral “não tinha sentido eu avançar no reforço, se não tivesse a D2 assegurada, então a D2 seguirá”, disse ele.

Intervalo menor entre doses

Além da dose extra, o ministro Marcelo Queiroga também anunciou que o intervalo entre as doses dos imunizantes da Pfizer e da AstraZeneca diminuiu de 12 para 8 semanas, como acontece no Reino Unido. “Temos uma quantidade boa de doses da Pfizer, da AstreZeneca também temos doses suficientes”. Mas, o ministro ressaltou que se, caso houver algum tipo de problema com a vacina da AstraZeneca, já que o IFA ainda vem da China, o intervalo pode se manter em 12 semanas.

A informação é da CNN Brasil

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Para mais informações, incluindo como configurar as permissões dos cookies, consulte a nossa nova Políticas de privacidade