Dados represados atrasam emissão de certificado de vacinação para viagens internacionais; veja como fazer o seu – Porto Alegre 24 horas

Dados represados atrasam emissão de certificado de vacinação para viagens internacionais; veja como fazer o seu

Documento é exigido como comprovante de imunização em viagens ao exterior, mas só pode ser emitido quando as duas doses da vacina contra a Covid-19 constarem no sistema do Ministério da Saúde
Foto: Reprodução

Compartilhe esta notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on whatsapp

A emissão do Certificado Nacional de Vacinação começou a ser uma preocupação para muitos brasileiros. O documento é exigido como comprovante de vacinação em viagens internacionais, mas algumas pessoas não estão conseguindo emiti-lo mesmo após terem completado o esquema vacinal. Isso porque não consta na plataforma ConecteSUS Cidadão, do Ministério da Saúde, o registro de aplicação das duas doses da vacina contra a Covid-19 desses indivíduos. É o caso de Giuliano Giglio, de 42 anos, que recebeu a segunda dose do imunizante no último dia 22 de setembro na cidade de São Paulo e ainda não teve a vacinação registrada no sistema. Logo após receber a vacina, o analista de T.I decidiu consultar o ConecteSUS. Para a sua surpresa, o cadastro ainda não havia sido atualizado. “Como tenho viagem internacional planejada para o mês que vem, fui verificar depois de um dia da imunização se o certificado já podia ser emitido pelo ConecteSUS, mas não constava a segunda dose. No aplicativo há uma mensagem informando que a atualização pode levar até 10 dias. Mesmo após esses 10 dias, nada”, relata Giglio.

Confira nossos perfis no Instagram, TwitterFacebook e Telegram e tenha acesso a todas nossas notícias.

Bruno Robalinho, de 38 anos, também passa pela mesma situação. O cardiologista intervencionista de Campina Grande, na Paraíba, recebeu sua segunda dose em 28 de fevereiro deste ano. Até o momento, seus dados não foram atualizados na plataforma do Ministério da Saúde. “Alguns colegas médicos estavam relatando que as doses não estavam corretamente inseridas na plataforma ConecteSUS. Alguns faltando a primeira dose, outros a segunda dose, outros com a data trocada da primeira com a segunda. Então, fui conferir a minha, já que tinha sido vacinado na primeira leva de profissionais da saúde, em 22 de janeiro, e recebi a segunda no dia 28 de fevereiro”, conta. Ao entrar no aplicativo para checar suas informações, o médico notou que os dados da sua segunda dose ainda não haviam sido registrados. Segundo o Ministério da Saúde, o registro das informações é responsabilidade dos postos de vacinação de Estados e municípios. Eles devem enviar as referências da imunização por meio do sistema integrado à Rede Nacional de Dados em Saúde (RNDS), que é a base federal utilizada para alimentar as informações do ConecteSUS.

A pasta orienta que o cidadão que não tiver seu registro disponível corretamente no aplicativo em até 10 dias procure o local de vacinação ou a secretaria estadual ou municipal de Saúde para solicitar o registro e envio de seus dados corretos. Giuliano Giglio seguiu a recomendação da pasta, mas seu problema não foi resolvido. “Fui na UBS. Eles verificaram e disseram que no sistema deles aparece tudo normal. Constam as duas doses. Da parte deles, disseram que não tinha mais o que fazer e que eu deveria acionar a ouvidoria do SUS. Foi o que eu fiz ao chegar em casa. Liguei no 136 e abri um chamado para verificarem o ocorrido. A atendente registrou como ‘urgente’ dada a necessidade que eu tenho do certificado para fazer a viagem, mas não me passou uma expectativa de prazo”, relata o Giuliano. O profissional da saúde Bruno Robalinho foi até seu posto de saúde na última quinta-feira, 7, receber a sua terceira dose. Durante a aplicação, explicou a situação e o vacinador inseriu os dados no sistema do SUS. De acordo com o Ministério da Saúde, as informações ficam disponibilizadas na plataforma 72 horas após o envio dos registros para a rede.

Ministério da Saúde solicita às UBS a inclusão instantânea do registro de aplicação da vacina

O Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra Covid-19 elaborado pela pasta solicita que os dados sejam enviados pelos postos de vacinação ao sistema no momento da aplicação das doses. No caso das salas de vacina sem conectividade com a internet que funcionam no âmbito da Atenção Primária à Saúde (APS), os registros das doses aplicadas poderão ser feitos em um outro sistema, no e-SUS AB, por meio da Coleta de Dados Simplificada. Essas salas farão registros offline e depois submeterão seus registros para o servidor assim que a conexão com a internet estiver disponível, no prazo máximo de 48 horas.

Da mesma forma, o Ministério da Saúde orienta que as salas de vacina que ainda não estão informatizadas e/ou não possuem uma adequada rede de internet disponível, ou mesmo as unidades em atividades de vacinação extramuros durante a campanha, realizem os registros de dados nominais e individualizados em formulários, para posterior registro no sistema de informação em até 48 horas. “Destaca-se ainda que, em consonância com a Resolução da Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, RDC n° 197/2017, todo serviço de vacinação possui obrigatoriedade na informação dos dados ao ente federal por meio do sistema de informação oficial do Ministério da Saúde, ou um sistema próprio que interopere com o mesmo”, acrescenta a pasta. No Estado de São Paulo, visando diminuir o número de dados represados, a Secretaria de Saúde pediu para que os postos de vacinação utilizassem o “Dia V”, que aconteceu no último dia 2 e será realizado novamente no próximo sábado, 16, para atualizar o sistema “VaciVida”, do governo do Estado, que faz a migração das informações para o ConectSus.

Como emitir o Certificado Nacional de Vacinação?

O primeiro passo para emitir o Certificado Nacional de Vacinação é ter um cadastro junto ao aplicativo do governo. Em seguida, por meio do site ou o aplicativo do ConecteSUS, disponível na Play Store (Android) e na App Store (iOS), o indivíduo deverá realizar o login com os mesmos dados cadastrados no sistema gov.com. Ao realizar o login, é possível ter acesso ao histórico de exames, consultas e serviços do Sistema Único de Saúde (SUS). No campo “vacinas”, a plataforma disponibiliza as informações sobre o imunizante contra a Covid-19 aplicado, como a data de vacinação e o fabricante. Assim que a situação estiver regularizada e as duas doses constarem no sistema, ao clicar no campo “segunda dose”, o usuário poderá obter o documento a partir de um link na parte inferior do site. O ConecteSUS libera a possibilidade de emitir o certificado em português, em inglês e em espanhol. (Jovem Pan)

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Para mais informações, incluindo como configurar as permissões dos cookies, consulte a nossa nova Políticas de privacidade