Com vacina liberada a partir dos 6 anos, Porto Alegre imunizou menos de 10% das crianças até agora – Porto Alegre 24 horas

Com vacina liberada a partir dos 6 anos, Porto Alegre imunizou menos de 10% das crianças até agora

Segundo país com maior número de mortes de crianças por covid, Brasil tem inúmeras campanhas de desinformação sobre a imunização infantil
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Compartilhe esta notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on whatsapp

Nos primeiros dias de vacinação infantil em Porto Alegre mais de 11 mil crianças receberam a primeira dose de imunização contra a covid-19. Desde o dia 19, a vacinação tem ocorrido de maneira escalonada, priorizando crianças com comorbidades – a exemplo do que aconteceu com o público adulto. Nesta sexta-feira (28), crianças a partir de seis anos começaram a ser imunizadas. A expectativa da Secretaria Municipal de Saúde é de aumento na procura, à medida que todo o público infantil possa receber as vacinas. A Prefeitura estima que 120 mil crianças entre cinco e 12 anos de idade possam ser imunizadas contra a covid-19.

“Inicialmente a vacinação foi menos efetiva, pois contemplamos as crianças com comorbidades. Com a ampliação para o público sem comorbidades, de diferentes faixas etárias, o número aumentou”, informou através da assessoria de imprensa o diretor adjunto de Atenção Primária da Saúde, João Manoel Fraga de Assunção.

Em meio a um cenário de proliferação de fake news e de campanhas antivacinação – disseminadas nas redes sociais e até em carros de som, como em um caso registrado essa semana, em Novo Hamburgo – a Prefeitura tem reforçado a segurança da vacinação. Um dos aspectos enfatizados é de que as vacinas utilizadas em adultos e crianças não são experimentais, e além de terem passado por todos os testes necessários para a comprovação da eficácia e da segurança, os imunNo Brasil todo, prolifera-se a desinformação e campanhas antivacinação Seguizantes foram aprovados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

O Brasil é o 2º país com maior número de mortes de crianças por covid-19, com o registro de mais de 1,4 mil óbitos de crianças desde o início da pandemia. “É importante que os pais levem em consideração que a vacina reduz a chance de internações, casos graves e até mesmo a morte. Todas as vacinas aplicadas foram aprovadas pela Anvisa”, destacou Assunção na nota.

Atualmente, dois imunizantes possuem autorização para aplicação de doses em crianças no Brasil: a vacina pediátrica da Pfizer, utilizada em crianças a partir de cinco anos; e a vacina Coronavac, para quem tem a partir de seis anos e não é imunossuprimido. Ambas são aplicadas em duas doses, com intervalo previsto de oito semanas para a Pfizer e 28 dias para a Coronavac. A única contraindicação das aplicações é para crianças com hipersensibilidade ao princípio ativo ou a outros componentes da vacina e, futuramente, para aquelas que apresentarem reação alérgica confirmada a uma dose anterior de vacina da covid-19.

Como as doses da Pfizer são diferentes para crianças e adultos, a vacinação tem ocorrido em locais separados. Atualmente, pelo menos, 15 unidades de saúde estão sendo utilizadas para a imunização das crianças. Os locais e os horários de vacinação são disponibilizados diariamente pelos canais de comunicação da Prefeitura. Para o esclarecimento de dúvidas, o Executivo lançou o site https://prefeitura.poa.br/vacinainfantil e também recomenda que os pais procurem os serviços de saúde para sanar outras questões. (Sul 21)

Mais noticias do Porto Alegre 24 horas

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Para mais informações, incluindo como configurar as permissões dos cookies, consulte a nossa nova Políticas de privacidade