Porto Alegre tem 321% de aumento de novos casos de covid

Porto Alegre tem 321% de aumento de novos casos de covid

Crescimento expressivo é causado pela variante ômicron e coincide com as festas de final do ano
Foto: Cristine Rochol | PMPA

Compartilhe esta notícia

Do Sul21

Porto Alegre registrou aumento de 321% no número de novos casos confirmados de covid-19 na comparação da primeira semana de janeiro de 2022 com a última de dezembro de 2021, segundo informou a Prefeitura. Dados do Boletim Covid 2/22 apontam 3.537 novos casos na primeira semana epidemiológica de 2022, enquanto, na última do ano passado, foram 1.099. Ao todo, 196.262 mil pessoas tiveram a confirmação da doença desde o início da pandemia na Capital.

Confira nossos perfis no Instagram, TwitterFacebook e Telegram e tenha acesso a todas nossas notícias.

O diretor da Vigilância em Saúde municipal, Fernando Ritter, diz que o momento é de manutenção das medidas de prevenção à infecção, como uso adequado de máscaras, distanciamento social, higienização frequente das mãos, isolamento dos infectados e manutenção de ambientes ventilados.

“A ômicron é uma variante de alta transmissibilidade confirmada, e o alto índice de vacinação da população contribui para o não agravamento de casos clínicos. No entanto, pessoas com esquema vacinal incompleto ou não vacinadas estão suscetíveis a quadros mais graves da covid-19”, alerta Ritter.

A Prefeitura informa que o número de casos será revisado devido a instabilidade no acesso aos sistemas de informação nacionais, e também pela falta de atualização desde meados de dezembro da base de dados do e-SUS Notifica, o que causa represamento de dados ainda não analisados de casos.

Responsável pela nova onda de contaminação, o primeiro caso da variante ômicron foi identificada pela primeira vez na Capital no começo de dezembro de 2021. Poucas semanas depois, foi declarada sua transmissão comunitária em 23 de dezembro.

Ritter destaca que o aumento abrupto de casos – e de testagem – certamente está relacionado às aglomerações que ocorreram nas celebrações das festas de final de ano e à sensação de segurança em função da vacina. “Esta é uma época em que viagens e confraternizações foram registradas tanto na cidade quanto no litoral, por exemplo, e o reflexo está sendo observado agora”, afirma.

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Para mais informações, incluindo como configurar as permissões dos cookies, consulte a nossa nova Políticas de privacidade