Um motorista de aplicativo e um comparsa foram presos nesta manhã de quarta-feira, na Zona Sul de Porto Alegre. Os dois são suspeitos de uma execução considerada bárbara e por motivo fútil. Eles teriam amarrado as mãos de um passageiro e o torturado, por uma dívida de R$ 50, dinheiro esse que teria sido o valor da corrida e que a vítima não possuía. Um outro participante está foragido. As informações são de GZH.

O crime aconteceu na Rua Luciano dos Santos Rodrigues, no bairro Belém Velho, na Zona Sul da Capital. A vítima não tinha antecedentes criminais e era funcionário de uma loja de eletrodomésticos. Após horas de torturas, o homem identificado por Eduardo Burigo, de 29 anos, foi morto a tiros.

A operação denominada como Taxi Driver, contou com a participação de 20 policiais. Devido à Lei de Abuso de Autoridade, as identidades dos envolvidos não foi divulga pelas autoridades.

— Apesar de não terem antecedentes mais graves, o fato de já terem passagem policial por lesão corporal demonstra a agressividade dos suspeitos. Foi um crime grave, com requintes de crueldade e ocorreu apenas porque a vítima não tinha, no momento, os R$ 50 para pagar a corrida — disse o delegado Eibert Moreira, da Divisão do Departamento de Homicídios.