Siga o Porto Alegre 24 Horas no Google News Entre no grupo do Whatsapp




Três pessoas foram indiciadas por homicídio qualificado, após a conclusão do inquérito da Polícia Civil que investigou a morte de Deivisson Pontes Ferreira, motorista de Uber que foi assassinado em seu carro, na Zona Sul de Porto Alegre no dia 26 de julho.

Mauro dos Santos Vaqueiro, preso que cumpre pena no Presídio Central de Porto Alegre foi o mandante do crime de acordo com a Polícia. O executor foi o seu irmão, Matheus dos Santos Vaqueiro que está foragido. Além deles, um comparsa auxiliou na execução e estava junto no momento do crime. Ele é Everton Carpes que foi preso devido a este inquérito.


De acordo com o delegado Eibert Moreira, responsável pela investigação o crime foi passional: “Ele teria coordenado a execução de dentro do Presídio Central em razão de envolvimento de da vítima com a esposa dele”.

A vítima inclusive avisou, através do whatsapp amigos próximos, que iria fazer uma corrida para o irmão de Mauro e que era para o pessoal “ficar esperto”. “Nós descartamos a possibilidade inicial de que ele teria sido acionado pelo Uber. Tanto testemunhas, quando informações do aplicativo descartam essa possibilidade. Na realidade, ele recebeu um telefonema do autor do fato solicitanto esse transporte”, esclarece o delegado.

Deivisson foi morto a tiros no dia 26 de julho, dentro de seu carro em um beco no bairro Vila Nova, Zona Sul de Porto Alegre. (Band RS)