Foto: Divulgação/Polícia Civil

Bandidos são presos em operação no combate a homicídios na Zona Leste de Porto Alegre

As ações aconteceram nos bairros Bom Jesus, Jardim Carvalho, Mario Quintana e Gravataí

Compartilhe esta notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on whatsapp

A Polícia Civil deflagrou na manhã desta quarta-feira (02) a operação Justa Causa para o combate de homicídios na Zona Leste de Porto Alegre.

Foram cumpridas 14 medidas cautelares, entre 6 mandados de busca e apreensão, 6 mandados de prisão preventiva e 2 mandados da prisão temporária. As ações aconteceram nos bairros Bom Jesus, Jardim Carvalho, Mario Quintana e Gravataí.

Pelo menos cinco pessoas foram presas, aproximadamente 1 quilo de cocaína foram apreendidos, assim como balanças, prensa e demais apetrechos para embalo e comércio de drogas, além de dois veículos utilizados para distribuição dos entorpecentes.

A investigação apurou a forma de atuação da facção que domina a Zona Leste da Capital com relação a desvios de conduta de colaboradores do grupo criminoso, resolvendo as questões com extrema violência, através de espancamento, decepamento de membros e demais formas de punição sempre com extrema crueldade.

As ordens judiciais foram expedidas em duas investigações distintas. No começo do ano, um homem foi severamente espancado por integrantes da facção criminosa. A ação foi tão violenta que os dentes da vítima foram arrancados em função das agressões.

As investigações apontaram que o grupo criminoso puniu a vítima em razão da atuação de forças policiais. A suspeita é que a vítima exercesse a “campana” do ponto de tráfico e tenha sido punida pela falha na sua “tarefa”.

No mês de outubro, outro homem foi agredido com requintes de crueldade. Ele teve o braço quebrado, dedos da mão decepados e o olho furado. As investigações indicaram que ele foi punido por ter trocado de ponto de venda de entorpecentes sem autorização da liderança da facção.

Tais fatos evidenciaram a organização do grupo criminoso, a estruturação de suas decisões, a articulação entre os vários pontos de venda, a forma de arregimentar colaboradores e, principalmente, o ‘regime disciplinar’ para aqueles que falham nas suas atividades: violência desmedida.

Entre os que tiveram a prisão preventiva decretada, está o homem apontado como o líder do grupo criminoso recolhido na prisão de alta segurança do Estado, o qual retornou recentemente do Sistema Penitenciário Federal. Também houve a decretação da prisão do gerente responsável pelo tráfico de drogas do bairro Jardim Carvalho e que se encontra recolhido no sistema prisional.

A investigação apontou que todas as decisões capitais envolvendo o grupo criminoso indicam a existência de uma hierarquia, passando por todas esferas de decisão e com o aval do líder da facção para prática de atos de violência. Maiores informações podem ser adquiridas com 5ª Delegacia de Homicídios e de Proteção à Pessoa. (O Sul)