Foto: Divulgação/Polícia Civil

Polícia desarticula rede de traficantes que movimentava mais de 100kg de drogas e mais de 7,4 mil contatos em Porto Alegre

Com a ação desta sexta, 16 pessoas foram presas.

Compartilhe esta notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on whatsapp

A Polícia Civil deflagrou nesta sexta-feira (04), a Operação Hora Marcada, no combate ao tráfico de drogas e contra organização criminosa que se utiliza de plataformas de aplicativos de transporte como fachada para praticar tráfico de drogas na modalidade telentrega.

Na ação, foram cumpridos 30 mandados de busca e apreensão, 13 mandados prisões temporárias, 7 mandados de apreensão de veículos, além de ação controlada.

Foram 8 meses de investigação, que se iniciaram em fevereiro do corrente ano, ocasião em que foram presos 5 (cinco) indivíduos em flagrante, com 11 kg de drogas prontos para venda, prensa térmica, envelopes, anotações, celulares, dinheiro, dois veículos utilizados para telentrega de drogas. Desde a prisão, a delegacia vem desenvolvendo as investigações necessárias para dar continuidade a apuração.

Foram analisados 83.749 áudios de conversas contidos em 441 conversas na plataforma Whatsapp, além de 27.761 imagens de arquivos, mais de 600 vídeos, sendo identificando 7457 contatos de consumidores de drogas, clientes da organização criminosa.

Na análise das provas, apurou-se que eram vendidos, aproximadamente, 4.6kg de drogas por dia, totalizando, no mês, mais de 100kg de drogas, entre os mais diversos tipos de entorpecentes.

O líder da organização já havia sido preso em fevereiro deste ano. E, mesmo preso, se mantinha no comando e atuando de dentro do Presídio Central, com a ajuda de sua companheira que estava em liberdade.

Com a ação de hoje, 16 pessoas foram presas e foram apreendidos mais de 25 kg de drogas, além de ecstasy, munições, 2 armas, balanças de precisões, anotações para o tráfico e 2 veículos.

A investigação foi realizada por intermédio dos policiais da 19ª Delegacia de Polícia de Porto Alegre, sob a coordenação do delegado Daniel Ordahi.

A Operação Hora Marcada foi assim denominada em alusão ao modus operandi da organização criminosa, que divulgava a venda dos entorpecentes solicitando que os consumidores marcassem hora para que a entrega da droga fosse realizada.