Padrasto agride garoto durante aula on line e é denunciado no RS – Porto Alegre 24 horas

Padrasto agride garoto durante aula on line e é denunciado no RS

Como as aulas têm sido gravadas durante a pandemia, escola de Erechim teve acesso às imagens e as enviou ao Conselho Tutelar
Reprodução

Compartilhe esta notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on whatsapp

Uma criança foi agredida pelo padrasto em Erechim, no norte do Rio Grande do Sul. O ato foi registrado pois o menino assistia a uma aula online e a câmera registrou as cenas de violência. A Polícia Civil e o Ministério Público iniciaram as investigações sobre o caso na semana passada.

Enquanto acompanhava a aula, o menino teve os headphones arrancados com força e foi puxado bruscamente pelo homem, que repete a agressão logo depois. Passados alguns instantes, o garoto retorna ao ambiente virtual chorando.

Depois do enteado voltar a aparecer no vídeo, o padrasto ainda aparece e puxa o cabelo do garoto, além de ofendê-lo.

Como as aulas têm sido gravadas durante a pandemia, escola teve acesso às imagens, enviou-as ao Conselho Tutelar e pediu providências ao órgão.

“Na terça-feira (12 de abril) de manhã, chegamos na escola e tinha um e-mail, com os três vídeos, onde a escola relatava o acontecido e solicitava uma apuração junto à família desse menor. A escola também avisou a mãe, que foi orientada a comparecer ao conselho”, conta o conselheiro tutelar Ademir da Rosa. Ainda segundo Ademir da Rosa, não há registros de agressões anteriores por parte do padrasto ao menor.

A mãe da criança relatou ao conselho tutelar que estava em outro cômodo da casa, com o filho mais novo, quando a agressão ocorreu. Ao ouvir gritos, ela foi até o local, mas o ato violento já havia terminado e “estava tudo calmo”. Ela foi orientada a registrar ocorrência policial.

Além de prestar apoio à criança, o Conselho Tutelar também notificou o Ministério Público sobre a ocorrência. A Deam (Delegacia Especializada no Apoio à Mulher e Vulneráveis) de Erechim (RS) investiga o caso.

Fonte: Portal R7

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Para mais informações, incluindo como configurar as permissões dos cookies, consulte a nossa nova Políticas de privacidade