Foto: Divulgação | Polícia Civil

Polícia Civil realiza a sua maior apreensão de aves silvestres em Porto Alegre

Apreensão de mais de 200 aves silvestres em cumprimento de MBA na Capital

Compartilhe esta notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on whatsapp

A Polícia Civil apreendeu mais de 200 aves silvestres em cumprimento de mandado de busca e apreensão, na manhã desta quinta-feira (17), em Porto Alegre.

A ordem judicial foi cumprida em residência no bairro Campo Novo, em razão de investigação sobre o cativeiro ilegal de animais silvestres, oriunda de denúncia anônima realizada através do Disque-Denúncia do DEIC (0800-510 2828).

Foram apreendidas 225 aves silvestres, pertencem a mais de 20 espécies, entre dragão, saíra militar, saíra sete cores, tico-tico rei, canário da terra, saíra azul, tiziu, coleiro do campo, coleiro do brejo, tiê sangue, sabiá-una, sabiá do campo, trinca-ferro, bico de pimenta, cardeal, tucano, graúna, gralha-picaçaa, azulão, azulinho, curió e bicudo. A delegada salienta que as aves das espécies curió, bico de pimenta e bicudo são ameaçadas de extinção.

Durante as buscas, foram localizadas cerca de 3 pássaros mortos nas gaiolas, bem como outras com aves silvestres convivendo com grande quantidade de fezes.

O prejuízo material estimado para o proprietário da residência gira em torno de R$ 100 mil, sem contar as gaiolas.

O proprietário da residência onde foram apreendidos os animais responde a procedimento policial pelo crime previsto no artigo 29 da Lei de Crimes Ambientais, com pena de detenção de 6 meses a 1 ano e multa, com a pena aumentada pela metade em razão de envolver espécies ameaçadas de extinção, bem como pelo crime previsto no art. 32 da mesma lei (maus-tratos contra animais).

A ação contou com o apoio da Secretaria Estadual do Meio Ambiente (SEMA) e os animais apreendidos foram encaminhados para o Centro de Triagem de Animais Silvestres (CETAS) do IBAMA.

Mais informações podem ser adquiridas com a Delegacia do Meio Ambiente (DEMA / DEIC).

Disque-denúncia: 0800-510 2828
WhatsApp e Telegram: (51) 98418-7814