Siga o Porto Alegre 24 Horas no Google News Entre no grupo do Whatsapp

Brasil de Fato

Com a aproximação do segundo turno da eleição para prefeito/a em Porto Alegre, as campanhas acirram o tom, com acusações e denúncias. Nesta quarta-feira (25), o candidato Sebastião Melo (MDB) esteve no Palácio da Polícia para registrar uma ocorrência contra o Movimento Muda Porto Alegre, chapa de Manuela D´Ávila (PCdoB) e Miguel Rosseto (PT). O motivo, segundo Melo, é uma acusação de racismo que teria sido feita pela campanha adversária em sua propaganda eleitoral.

Em um vídeo divulgado pela coligação “Estamos Juntos, Porto Alegre”, o candidato do MDB, ao lado do seu vice, Ricardo Gomes (DEM), afirma repudiar o que considera ser falsas acusações e acusa a chapa adversária de cometer um ato criminoso. “A gente pode perder ou ganhar eleição, mas a biografia tem de ser preservada. Eu combato racismo e todo o tipo de preconceito. Capinei roça, vim para a cidade e trabalhei muito para chegar onde cheguei. Não é justo nem honesto dizer que sou preconceituoso”, disse Melo.

A candidata Manuela D´Ávila se manifestou sobre o caso em suas redes sociais. Segundo ela, a candidatura de Melo “tenta criar um fato eleitoral diante da incapacidade de dizer que discorda das declarações literais de seus aliados”.

“Seria tão mais simples dizer: não concordo com Mourão e Valter. Mas não, ele age contra mim que denuncio declarações racistas. Ele vai na delegacia pra tentar esconder seus aliados. Mas o povo tem o direito de saber quem são suas companhias nessa caminhada”, disse Manuela.


Ocorrência policial foi feita no final da manhã desta quarta-feira (25) / Reprodução

Melo também comunicou que a coligação acionou a Justiça Eleitoral, e cita que este seria um terceiro caso da fake news contra sua campanha. O que não ele não cita é que, somente no primeiro turno, a candidatura de Manuela foi alvo de mais de meio milhão de notícias falsas. Tanto que o Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Sul determinou a retirada dos 529.075 compartilhamentos de notícias falsas publicadas no Facebook.

A candidata do PCdoB afirma ainda que a candidatura de Melo responderá judicialmente pelo fato de hoje: “Entraremos com uma ação de dano moral por injúria e difamação e também com denunciação caluniosa pelo Boletim de Ocorrência”.