Foto: Mateus Raugust/Divulgação

Sebastião Melo: ‘Vamos ver quem tem experiência para comandar a cidade em período de crise’

Sebastião Melo (MDB) disputará o segundo turno da eleição com Manuela D’Ávila (PCdoB).

Compartilhe esta notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on whatsapp

Do Sul21

Em discurso após ter confirmada a ida para o segundo turno na eleição à Prefeitura de Porto Alegre, o candidato Sebastião Melo (MDB) agradeceu o apoio de correligionários e partidos aliados, em especial ao PTB e o ex-candidato José Fortunati, e indicou que planeja adotar no segundo turno a estratégia de polarização contra a candidata Manuela D’Ávila (PCdoB).

“Agradeço os eleitores de Porto Alegre que me colocaram no segundo turno, mas também os eleitores que colocaram a outra candidata no segundo turno”, disse Melo, em tom respeitoso. “Recebo o resultado com muita humildade e a responsabilidade de quem vive a cidade há muitos anos.”

O candidato do MDB terminou o primeiro turno com 31% dos votos válidos, seguido por Manuela D’Ávila (PCdoB), com 29% dos votos. Melo destacou que o segundo turno é “outra eleição” e acredita que, com mais tempo, poderá explicar melhor seu projeto de governo. Marcando diferenças com a candidata adversária, Melo enfatizou a necessidade da qualidade dos serviços públicos, independente se gerenciado ou não pelo poder público.

Disse ainda que não irá mexer “no que vem dando certo” e que procurará o apoio de Valter Nagelstein (PSD), João Derly (Republicanos) e do PSB. “Vamos conversar com os outros partidos, essa é uma chapa que tem capacidade de diálogo.”

“Vamos comparar biografias, vamos ver quem tem experiência para comandar a cidade em período de crise”, afirmou. Num aceno a setores atingidos pela pandemia do novo coronavírus, o candidato do MDB disse que, se eleito, no dia 1º de janeiro reabrirá todas as atividades econômicas que estejam fechadas. No entanto, Melo não fez referência direta ao enfrentamento do coronavírus e aos dados que indicam aumento da contaminação e internação de pacientes com covid-19 nos hospitais da cidade.