Siga o Porto Alegre 24 Horas no Google News

Em seu discurso de transmissão de cargo, no final da tarde desta sexta-feira, 1º, o novo prefeito de Porto Alegre, Sebastião Melo, descreveu como irá administrar a cidade pelos próximos quatro anos. Em destaque, temas como o empreendedorismo e a imunização contra a Covid-19. “Vamos governar com a verdade, diálogo e liberdade. Teremos no desenvolvimento econômico nosso carro-chefe, para que possamos facilitar a abertura e a manutenção de negócios e para que a Capital seja amiga do empreendedor. A liberdade econômica terá papel central no nosso governo”, destacou o prefeito.

Melo garantiu austeridade com recursos públicos e foi enfático em relação ao combate à corrupção. “Dinheiro público tem que ser gasto com eficiência e corrupção zero é o que se espera dos governos.

A fala contou ainda com uma breve lembrança da sua trajetória, quando chegou em Porto Alegre, vindo da sua cidade natal, Piracanjuba, em Goiás. “Por volta das 9 horas do dia 16 de fevereiro de 1978 desci do ônibus e subi pela Esquina Democrática, que ainda não se chamava assim, com muita vontade de vencer na vida. Foi esta cidade generosa e valorosa que me fez vereador três vezes, deputado estadual, vice-prefeito e agora prefeito”, disse, emocionado.

A articulação com os diferentes setores e municípios é prioridade para o prefeito, que anunciou uma nova reunião com o governo do Estado na próxima quarta-feira, 6. “Estou tratando com o governo estadual uma ida à Brasília, incluindo representantes das cidades da Região Metropolitana, firmando uma parceria para garantir a imunização. “Não há nada mais urgente neste momento do que a vacinação da população. Caso seja preciso, faremos um consórcio metropolitano para adquirir a vacina”, declarou.

Temas como economia e inovação também são prioritários. Entre eles, o projeto de reforma da previdência a ser encaminhado para a Câmara de Vereadores e a modernização da máquina pública. “Mandaremos o projeto de Reforma da Previdência para a Câmara o mais breve possível. A reforma é necessária para a cidade e para os servidores, pois o gasto previsto apenas para este ano é de R$ 1,3 milhão”, explica.

Ao encerrar, Melo voltou a relembrar o passado para retratar seu sentimento. “A vida é uma passagem, mas que se renova. E é assim que me vejo: um guri de 18 anos com a disposição para ser prefeito de Porto Alegre. Vou levantar cedo e dormir tarde. Não tem hora para enfrentar as demandas da cidade. Estamos juntos, Porto Alegre”, finalizou. (PMPA)