Siga o Porto Alegre 24 Horas no Google News Entre no grupo do Whatsapp

Direto da redação:
Saiu nesta tarde de sexta-feira (30) o despacho da juíza Cristina Marquesan da Silva sobre pedido das entidades de trabalhadores de educação do RS para nova suspensão das aulas presenciais. A magistrada marcou a audiência de conciliação para segunda-feira, as 9h:30 e não apreciou o mérito.

Desta forma, o decreto do governador Eduardo Leite (PSDB), que colocou todo o Estado em bandeira vermelha para permitir a retomada das aulas presenciais, não deu fim aos conflitos jurídicos. Em função disso, a magistrada titular do processo, Cristina Luisa Marchesan da Silva, determinou o encaminhamento do tema para o Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania da capital.

A primeira reunião ocorrerá já na próxima segunda-feira (03). A intenção original era a de realizar o encontro na terça-feira, mas articulações do Simpa, em torno de deflagrar uma possível paralisação na segunda-feira, levou à antecipação da data. Até agora, já são quatro recursos apresentados com o objetivo de suspender as atividades presenciais novamente.

O novo decreto do governo ocorreu após derrota no Tribunal de Justiça, que negou petição que visava o retorno das aulas com a bandeira preta. Na decisão, unânime, que impôs a derrota ao governo, o desembargador Antonio Vinicius Amaro da Silveira, relator do caso, sustentou que o retorno deve se dar mediante a constatação de circunstâncias sanitárias seguras para toda a comunidade envolvida.