Bolsonaro diz que STF fez ‘fake news e cometeu crime’ em vídeo sobre ação na pandemia – Porto Alegre 24 horas
Foto: Reprodução

Bolsonaro diz que STF fez ‘fake news e cometeu crime’ em vídeo sobre ação na pandemia

Presidente lembrou que o governo federal, por duas vezes, foi ao Supremo para que decretos de governadores fossem declarados inconstitucionais

Compartilhe esta notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on whatsapp

O presidente Jair Bolsonaro respondeu a uma postagem em que o Supremo Tribunal Federal classifica como falsa a afirmação de que teria tirado poderes do presidente da República de atuar na pandemia. Pelas redes sociais, Bolsonaro menciona que a Corte decidiu em abril de 2020 que “não compete ao Poder Executivo afastar, unilateralmente, as decisões dos governos estaduais, distrital e municipais” para combater a pandemia da Covid-19.

Segundo o presidente, “o STF delegou poderes para que estados e municípios fechassem o comércio, decretassem lockdown, fechassem igrejas, prendessem homens e mulheres em praças públicas ou praias, realizassem toque de recolher”. Bolsonaro ainda lembra que o governo federal, por duas vezes, foi ao STF para que decretos de governadores fossem declarados inconstitucionais. Para o presidente, as medidas “violavam incisos do art. 5° da Constituição Federal, que trata das liberdades individuais”.

Em conversa com apoiadores no Palácio da Alvorada, Jair Bolsonaro rebateu a manifestação do STF. “Dizendo que não tirou poderes meus, isso é fake news. Decidiu que medidas restritivas impostas pelo governos e prefeitos não poderiam ser modificadas por mim. Então, o Supremo, na verdade, cometeu crime ao dizer que prefeitos e governadores poderiam suprimir toda e qualquer direito previsto, inclusive o ir e vir.”

Na mesma postagem, Jair Bolsonaro diz que o governo respeita o direito à liberdade de expressão de todos e que “cometem atos antidemocráticos exatamente os que querem, pelo uso da força, calar quem se manifesta”. Ele reitera ter defendido “que o vírus e o desemprego deveriam ser combatidos de forma simultânea”. Aos apoiadores, o presidente lembrou dos efeitos econômicos aos empregos e aos trabalhadores informais.

“Fizeram barbaridade, autorizado pelo Supremo Tribunal Federal. E vem o Supremo ontem, falar em fake news. Eu não fechei um botequim no Brasil porque não adiantava tomar providência, governo e prefeito tinham mais governo que eu.” No Alvorada, o presidente Jair Bolsonaro também acusou os governantes locais de adotar medidas restritivas não para salvar vidas e, sim, para desestabilizar o governo. E cita medidas tomadas na pandemia. “Tentaram nos derrubar pela economia. A nossa equie competente, fizemos projetos como o Pronampe. Veio o auxilio emergencial, gastamos em um ano mais que 10 anos de Bolsa Família. Ainda tem gente que reclama. O Estado não pode pagar por muito tempo isso, o Estado quebra.” Bolsonaro ainda chamou de “fake news” posições contrárias ao chamado tratamento precoce da Covid-19, citando o parecer do Conselho Federal de Medicina que atribui ao médico a decisão de receitar tratamentos “fora da bula”, como a indicação de remédios sem eficácia comprovada contra o coronavírus. (Jovem Pan)

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Para mais informações, incluindo como configurar as permissões dos cookies, consulte a nossa nova Políticas de privacidade