A Prefeitura de Porto Alegre contabiliza 5,4 mil metros de infraestrutura cicloviária em 2020. A marca é resultado da finalização do trecho de 1,3 quilômetro de ciclovia na avenida Aureliano de Figueiredo Pinto, na região dos bairros Praia de Belas e Cidade Baixa, e o trecho de 1.000 metros de ciclofaixa da Siqueira Campos, no Centro Histórico. Na atual gestão, os usuários de bicicleta já foram contemplados com 11 mil metros quadrados de um total de 55 quilômetros implantados na Capital pela Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC).

O trajeto da Aureliano, entre a Rótula das Cuias e a avenida Erico Verissimo, conclui o eixo Erico/Aureliano e faz a conexão entre as ciclovias já existentes da José de Alencar, Ipiranga, José do Patrocínio e Edvaldo Pereira Paiva, na orla do Guaíba. O percurso de ciclovia unidirecional, em que as bicicletas trafegam no mesmo sentido do fluxo dos veículos, também proporciona melhorias para os pedestres, com rampas de acessibilidade e novas travessias semaforizadas, sem comprometer a circulação dos demais veículos, pois foi implantado no espaço viário existente.

“Com a redivisão das faixas de rodagem e sem redução de capacidade de fluxo, a implantação torna o uso do espaço urbano mais eficiente e conta com os elementos de sinalização tática que a caracterizam como uma Rua Completa, para maior segurança de todos os usuário da mobilidade ativa”, destaca o secretário municipal extraordinário de Mobilidade Urbana, Rodrigo Mata Tortoriello.

A implantação da ciclofaixa da Siqueira Campos é um iniciativa da Prefeitura, enquanto a ciclovia da Aureliano de Figueiredo Pinto é uma contrapartida do Shopping Iguatemi, como obrigação legal pela expansão do pólo gerador de tráfego no bairro Passo d’Areia. A iniciativa integra as ações do MobiliPOA, programa de mobilidade que organiza e disciplina os diferentes modais de transporte e circulação da Capital.

Fonte: PMPA