Siga o Porto Alegre 24 Horas no Google News Entre no grupo do Whatsapp

A farmacêutica americana Moderna anunciou nesta segunda-feira, 30, que sua vacina contra o novo coronavírus se mostrou 94,1% eficaz nos resultados finais da fase 3 dos testes clínicos.

No dia 16 de novembro, a Moderna já havia anunciado os resultados preliminares dos estudos, com eficácia de 94,5%.

O estudo da farmacêutica envolveu 30 mil participantes, dos quais 196 indivíduos desenvolveram o coronavírus com sintomas, de acordo com a companhia.

Destes, 185 haviam tomado placebo, enquanto 11 haviam recebido o imunizante.

Segundo a Moderna, o imunizante também aparentou ser seguro, ainda que alguns participantes tenham experimentado dores de cabeça e outras reações leves a moderadas.

“Acreditamos que nossa vacina fornecerá uma ferramenta nova e poderosa que pode mudar o curso desta pandemia e ajudar a prevenir doenças graves, hospitalizações e mortes”, disse o CEO da Moderna, Stéphane Bancel.

“Vamos solicitar hoje uma autorização de uso de emergência da FDA e continuar avançando com as revisões contínuas que já foram iniciadas com várias agências regulatórias em todo o mundo”, acrescentou Bancel.

Autorização emergencial da vacina

A Moderna também revelou que pedirá ainda hoje autorização para uso emergencial de se imunizante para a covid-19 nos Estados Unidos e na Europa.

Nesta sexta-feira, 27, o Ministério da Saúde informou que a vacina contra a covid-19 não deverá ser oferecida a toda a população brasileira em 2021. A coordenadora do Programa Nacional de Imunizações (PNI) da pasta, Francieli Fontana, explicou que, como alguns grupos não estão participando dos testes das vacinas, não seria possível imunizar toda a população brasileira.

“Nós definimos objetivos [com grupos prioritários] para a vacinação, porque não temos uma vacina para vacinar toda a população brasileira. Além disso, os estudos não preveem estar trabalhando com todas as faixas etárias inicialmente, então não teríamos mesmo como imunizar toda a população brasileira”, disse Francieli.