Siga o Porto Alegre 24 Horas no Google News

A Covid-19 pode prejudicar a fertilidade masculina , de acordo com um novo estudo experimental. Cientistas na Alemanha descobriram uma deterioração significativa na qualidade do sêmen em homens que contraíram o vírus até 60 dias após a doença.

Eles também observaram marcadores mais elevados de inflamação, estresse oxidativo e morte de células de esperma, todos indicadores da chance de um homem ter um filho.

Os pesquisadores recomendaram que os homens que sofreram muito com a Covid-19 deveriam ter sua saúde reprodutiva avaliada antes de tentarem ter um bebê. No entanto, alertam que os resultados de seu estudo de laboratório podem não se traduzir necessariamente em uma capacidade de reprodução mais empobrecida.

A equipe da Justus-Liebig University analisou 84 homens com Covid-19 confirmado e 105 indivíduos de controle de mesma idade que não contraíram o vírus. Eles fizeram medições a cada 10 dias durante um período de 60 dias.

Nos homens com a doença, os marcadores de inflamação e estresse oxidativo nos espermatozoides foram mais que o dobro em comparação com o grupo saudável. A concentração do esperma foi reduzida em 516%, a mobilidade em 209% e a forma da célula do esperma foi alterada em 400%.

Os pesquisadores disseram que isso representa a oligoastenoteratozoospermia, que é uma das causas mais comuns de subfertilidade em homens.

Preocupação com efeitos colaterais

Desde o surgimento da Covid-19, tem havido preocupação sobre o efeito na reprodução masculina porque os mesmos receptores que o vírus usa para obter acesso aos tecidos dos pulmões também são encontrados nos testículos.

“Esses efeitos nas células espermáticas estão associados a uma qualidade inferior do esperma e ao potencial de fertilidade reduzido . Embora esses efeitos tendam a melhorar com o tempo, eles permaneceram significativa e anormalmente mais altos nos pacientes com Covid-19, e a magnitude dessas mudanças também estava relacionada à gravidade da doença”, disse Behzad Hajizadeh Maleki, estudante de doutorado que liderou a pesquisa.

“Os resultados deste estudo também sugerem que o sistema reprodutor masculino deve ser considerado uma rota vulnerável de infecção por Covid-19 e deve ser declarado um órgão de alto risco pela Organização Mundial de Saúde (OMS)”, acrescentou.

Fonte Portal IG