Siga o Porto Alegre 24 Horas no Google News Entre no grupo do Whatsapp

Para boa parte dos infectados pelo novo coronavírus, a remissão da doença não é o fim dos problemas. Entre as sequelas mais comuns figuram falta de ar, cansaço e um quadro geral de abatimento que faz parecer até que a infecção se tornou crônica. Existem, também, algumas consequências menos comuns, como manchas na pele e queda de cabelo. Essa última afeta os pacientes curados da Covid logo após o fim dos principais sintomas ou nos meses subsequentes. A profissional de Relações Públicas Janaína Maximo, que teve a doença em julho do ano passado, sofre com a queda de cabelo até hoje. Ela relatou a perda de mechas inteiras de cabelo desde que contraiu coronavírus.

“Nos dois primeiros meses, eu acordava e na minha cama tinha bastante cabelo, assim como no chão ou no prendedor, toda vez que eu amarrava o cabelo. Quando sentia coçar a cabeça, já sabia que ia cair cabelo. Algumas pessoas falavam que a coceira era de fio novo nascendo, mas eu não notei nada disso.”

Carla Nogueira, dermatologista da clinica Mais Cabello, explica que a queda dos fios se apresenta como sequela da Covid por conta de processos inflamatórios ou do estresse.

“O quadro ocorre em aproximadamente 30% dos indivíduos com diagnóstico de infecção por coronavírus, podendo acometer homens e mulheres igualmente. Essa queda de cabelo aguda, chamada de eflúvio telógeno, também é observada em doenças como zika e chikungunya, outras viroses importantes que causam estresse fisiológico. O problema ocorre devido a uma reação do organismo ao vírus, levando à alteração do ciclo capilar.”

A especialista também comenta que uma explicação possível para essa queda é a redução na distribuição de nutrientes e oxigênio que o corpo sofreu quando esteve exposto ao coronavírus:

“Durante a infecção, a pessoa tem quedas consideráveis na distribuição dos nutrientes e de oxigênio. E o corpo tem essa inteligência: ele entende o cabelo e a unha como partes não tão irrelevantes, e deixa de mandar nutrientes para essas áreas. Aí começa a cair cabelo e as unhas ficam mais quebradiças.”

Para Carla, não há uma forma específica de tratamento porque ele é a consequência tardia de um problema que já passou. O que pode ser feito é cuidar para reduzir os danos:

“Muita gente deixa de lavar o cabelo porque pensa que ele vai cair mais na lavagem, mas isso é errado. O cabelo precisa sim ser lavado sempre. Existem xampus, pomadas, vitaminas e outras substâncias que podem ajudar.”

Luciana Andrade, farmacêutica da Dermatus, reitera que os fios podem se recuperar entre três e seis meses, mas o paciente pode acelerar esse tempo, que é muito particular.

“Se de repente o paciente tem algum quadro que agrave essa queda, ele vai sentir de forma mais severa os efeitos. Existe todo um processo de crescimento dos fios, mas que pode ser acelerado por loções capilares, princípios ativos, substâncias como a Biotina, o silício orgânico oral, que ajuda nessa ancoragem dos fios, o D’pantenol, o green tea, que é um potente antioxidante, e outras substâncias que podem ajudar”, comenta Luciana.

É consenso entre os profissionais que a boa alimentação e os hábitos de vida saudáveis são essenciais para a redução da queda de cabelo ocasionada pela Covid. Também é importante procurar auxílio profissional e evitar a automedicação.

Procure um especialista

Os dermatologistas podem avaliar a causa da queda e indicar o tratamento mais eficaz para recuperar os fios perdidos.

Cuidados

Procure evitar o uso abusivo da prancha e das químicas como a escova definitiva ou progressiva com intervalos muito curtos. Evite dormir com o cabelo molhado, preso, com trança ou presilha. Mantenha o cabelo sempre limpo, mas não lave com água muito quente.

Beba água

A água é um importante aliado da saúde em geral, principalmente para o crescimento forte e saudável dos cabelos. Consuma pelo menos 2 litros diariamente

Tenha uma alimentação saudável

Uma alimentação saudável, rica em alimentos naturais, ajuda o corpo a evitar e combater os processos inflamatórios. Alguns nutrientes como os minerais (zinco, selênio, cálcio, silício e ferro), vitaminas (E, C e do complexo B), proteínas e grão integrais são extremamente benéficos para fortalecer os fios.

Faça exercícios

As atividades físicas ajudam a reduzir os níveis de estresse do corpo, além de contribuir para a desinflamação do corpo. Faça pelo menos 30 minutos de atividade física diariamente.

O Sul