Foto: Poa24Horas

Qual a diferença entre produtos diet e light?

Produtos diet e light não são necessariamente reduzidos em calorias

Compartilhe esta notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on whatsapp

É fácil um consumidor se sentir perdido no corredor do supermercado em que ficam os produtos diet e light. Você encontra os mais diversos alimentos – de gelatinas e doces a salgadinhos e até ketchup. Mas o que eles significam?

Existe uma ideia entre os consumidores de que produtos diet, por exemplo, são necessariamente aqueles que não têm açúcar. Isso não é verdade.

Quais as diferenças entre alimentos diet e light?

Primeiramente, é essencial que você entenda que produtos diet e light não são iguais. Da mesma forma, um alimento diet, por exemplo, pode ter características diferentes de outros com a mesma denominação.

Mas o que exatamente significam essas indicações?

Diet

O termo diet não se aplica apenas aos alimentos isentos de açúcar. Aplica-se também aos alimentos isentos de um ou mais dos componentes a seguir: gorduras; proteínas; sódio; ou qualquer outro ingrediente.

O produto que recebe essa denominação passa por modificações para se adequar a certa restrição de nutrientes. Ou seja, eles são alternativas aos seus produtos originais que podem ser consumidas por pessoas com algum tipo de restrição alimentar.

Essa restrição está relacionada geralmente a necessidades metabólicas ou fisiológicas, como no caso dos diabéticos, que precisam controlar a taxa de açúcar no sangue.

Porém, da mesma forma que esses indivíduos podem procurar por produtos diet isentos de açúcar (que é um carboidrato), por exemplo, pessoas que possuem níveis elevados de colesterol ruim ou problemas de vesícula encontram alimentos diet sem gordura ideais para seu consumo.

Produtos diet isentos de sódio também estão disponíveis no mercado, essenciais para quem sofre de hipertensão arterial ou simplesmente deseja diminuir a quantidade de sódio ingerida diariamente.

Essas duas últimas versões podem ser encontradas contendo ou não açúcar em sua composição. É fundamental entender que o açúcar pode ser o componente ausente em um alimento diet, mas não é a regra.

Light

O termo light vem da palavra em inglês correspondente a “leve”, e saber isso já ajuda você a compreender o que significam os produtos chamados de light.

Isso porque, para um alimento ser considerado light, ele deve obrigatoriamente apresentar uma redução de, pelo menos, 25% de algum nutriente ou ingrediente quando comparado à sua versão original. Assim como acontece com os produtos diet, essa redução pode se apresentar em diversas formas: quanto ao teor calórico, à quantidade de açúcares, colesterol, gorduras totais ou insaturadas, etc.

Mais de um componente pode estar reduzido, inclusive. Você pode encontrar marcas de requeijão light, por exemplo, que apresentem tanto o teor calórico quanto o de gorduras totais menores do que no produto convencional.

É por isso que, antes de comprar o primeiro item que achar pela frente, é de fundamental importância que leia o rótulo para identificar se o alimento corresponde às suas necessidades.

Calorias

Outra suposição que acompanha os demais mitos relacionados aos produtos diet e light envolve o teor calórico desses alimentos. Diferentemente do que muitos acreditam, eles não são necessariamente reduzidos em calorias.

Pelo contrário, é comum encontrar produtos cuja versão diet seja mais calórica do que a convencional. Segundo a Tabela Brasileira de Composição de Alimentos (TACO), por exemplo, a média de calorias de 100g de um chocolate ao leite dietético (sem açúcar) é de 557kcal, enquanto a versão comum encontrada nas lojas tem cerca de 540 kcal.

Isso acontece porque o fabricante normalmente acrescenta gordura (substância rica em calorias) à fórmula do chocolate para torná-lo mais saboroso e garantir sua consistência, na falta do açúcar. Ou seja, se por um lado ele é bom para diabéticos, por outro pode não ser recomendado para quem pretende perder peso.

Já um alimento light só terá um menor teor calórico se este elemento tiver sido alvo de redução em sua composição. Um produto light em sódio não terá necessariamente menos calorias.

O Sul