A “Semana do Brasil”, anunciada pelo Governo Federal, tem como objetivo melhorar os números da economia no país. A medida é uma parceria do poder público com o setor privado e busca incentivar o comercio entre os dias 6 e 15 de setembro, oferecendo produtos com preços promocionais nas lojas.

A escolha do período se dá a partir do feriado de Independência do Brasil, no dia 7, juntamente com o fato de não haver datas comerciais no mês de setembro.

Conforme o Instituto para Desenvolvimento do Varejo, sinais de aumento na renda das famílias, a redução ainda que tímida do desemprego e o custo mais baixo do crédito já deveriam ter incentivado os brasileiros a comprar mais. No entanto, de acordo com Marcos Gouvêa de Souza, diretor do Instituto para Desenvolvimento do Varejo, a baixa confiança é o principal fator que trava o consumo da população:

“Você tem um quadro que deveria favorecer a retomada do consumo, mas a confiança está inibindo essa retomada. A ideia da Campanha é contribuir para mudar o ânimo das pessoas, a economia está caminhando melhor do que caminhou nos últimos cinco anos, o quadro a frente é positivo mas o consumidor ainda está cauteloso.”

Durante a Semana do Brasil, além dos produtos com descontos, alguns estabelecimentos devem ampliar seus horários de atendimento. Conforme o Governo Federal, cerca de 300 empresas já confirmaram participação no evento. Marcos Gouvêa classifica a expansão do crédito às famílias brasileiras como fator determinante para impulsionar a retomada da economia:

“O crédito das famílias do Brasil representa algo como 25% do nosso PIB. Em outros países como Inglaterra, França, esse patamar é de 80% ou 70%, o Chile aqui ao lado gira em torno de 50%. Nós poderíamos dobrar e trazer com isso mais empregos, recuperação da indústria e muitas outras coisas.”

Não é somente o varejo que será movimentado durante o período. O setor hoteleiro, por exemplo, deve realizar promoções para estimular o turismo interno.

A ação da Semana do Brasil foi criada pela Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República. A inspiração foi o setor varejista norte-americano, que costuma realizar promoções próximas a feriados nacionais. (Gilberto Echauri | Band)