Siga o Porto Alegre 24 Horas no Google News Entre no grupo do Whatsapp

O dia 5 de março é especialmente importante para o músico Jorge Hugo Souza Gomes, conhecido no meio musical como Jottagá. Além de ser a data do seu aniversário, foi neste dia que nasceu há 40 anos a banda Fróide Explica. Com repertório eclético, performance teatral no palco, e letras  carregadas de ironia, a banda tem como temática os recortes da vida urbana, tendo como cenário principal o bairro Bom Fim, na capital gaúcha. Tendo seu primeiro disco gravado em 1985 e incursões na TV e nos teatros nas décadas de 1980 e 1990, a banda contou com várias formações de músicos gaúchos e nos últimos anos mergulhou no universo das plataformas digitais.

Para comemorar as quatro décadas deste trabalho, acontece no próximo dia 5 de março, às 21h, uma live comemorativa, que será transmitida pelo canal no Youtube Jottagá Fróide Explica. A formação atual da banda, que segue liderada por Jottagá, vai fazer um resgate dos seus grandes sucessos, interpretando a passagem do tempo e projetando o futuro, com um toque de humor e resgatando a alma da capital nestes tempos difíceis de pandemia.

Nos últimos anos, Jottagá tem se dedicado a novos projetos na música e na literatura, ao lado de outros parceiros, mas a Fróide Explica permanece viva.  O artista que é um mix de cantor, compositor e comunicador de platéias, ousado nas músicas autorais e criativo nos covers pontuais,  assinou várias peças musicais e atualmente também integra a banda The Besouros, que toca Beatles para crianças.

Em 2018, Jottagá também tornou-se escritor, lançando na 64ª Feira do Livro a obra Plinc: a História de Amor de Um Pingo D’Água, voltada ao público infantil e que acabou virando música também. A inspiração para falar com as crianças vem de sua filha caçula, Georgia Alba Souza Gomes, que hoje também é sua parceira em vários projetos musicais.

Aos 68 anos (que serão completados no dia da live), o eclético artista se sente cada vez mais jovem e pronto para falar com o público adulto que viveu a noite de Porto Alegre do final do século XX e hoje tem poucas referências musicais locais. “Queremos conversar  com as pessoas que buscam se divertir  com trabalhos que tenham uma identidade adulta e um conteúdo mais elaborado, ora crítico, irônico, normalmente bem humorado ”, comenta Jottagá.