Arquivo Pessoal

Mulher mantém corpo da mãe na sala por falta de vaga em cemitério

Caixão com o cadáver permaneceu na casa por duas semanas. Caso ocorreu na cidade de Palermo, na ilha italiana da Sicília

Compartilhe esta notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on whatsapp

Uma mulher foi obrigada a manter o caixão com o corpo da mãe morta em sua sala de estar por duas semanas. A situação aconteceu por conta da alta de óbitos causados pela Covid-19 em Palermo, capital da ilha italiana da Sicília, que fez com que todos os cemitérios ficassem com lotação máxima.

Em entrevista ao The Sun, Giusy La Mantia contou que a mãe faleceu no dia 19 de fevereiro. A filha notificou a agência funerária imediatamente, mas foi informada de que, por conta da alta demanda devido à pandemia de coronavírus, não havia novos locais de sepultamento em nenhum cemitério próximo.

Por não ter um jazigo particular, a família foi orientada a manter o corpo em casa até que novas vagas surgissem. De acordo com Giusy, ela e os parentes acreditavam que a situação duraria, no máximo, um ou dois dias.

Fonte: Metropoles