As 10 desculpas mais comuns e bizarras para não realizar o bafômetro – Porto Alegre 24 horas
Foto: Divulgação | Detran RS

As 10 desculpas mais comuns e bizarras para não realizar o bafômetro

Consumo de alimentos com baixo nível de álcool e até o constrangimento pelo uso de prótese dentária estão entre as justificativas.

Compartilhe esta notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on whatsapp

Na hora do desespero, o que vale é a criatividade. Pelo menos é isso o que mostra um levantamento realizado pelo Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran-SP) sobre as desculpas mais comuns para fugir da blitz do bafômetro. Tristeza pelo fim do noivado, prótese dentária e até um coquetel alcóolico para gripe são algumas das justificativas para tentar evitar o pagamento de uma multa de quase R$ 3 mil e ainda perder o direito de dirigir por um ano.

Essas desculpas, porém, não convencem policias e agentes de trânsito. Em 2019, foram julgados 8.625 recursos, mas somente 177 foram deferidos – o que representa somente 2%. Até junho de 2021, foram analisados 743 recursos, dos quais apenas 18 foram deferidos. Por conta da pandemia da Covid-19, o Detran não realizou a Operação Direção Segura, que promove a redução e prevenção de acidentes de trânsito causados pelo consumo de álcool.

Frederico Pierotti Arantes, presidente do Conselho Estadual de Trânsito de São Paulo (Cetran), explica que a lei é clara e é de tolerância zero para a combinação de álcool e direção. “Muito embora a punição para estes casos não seja imediata, o resultado dos julgamentos dos recursos tem demonstrado tratar-se de justificativas quase sem nexo, resultando no indeferimento dos recursos e na manutenção da penalidade aplicada.”

De acordo com os artigos 165 e 165A do Código de Trânsito Brasileiro, dirigir sob a influência de álcool ou recusar-se ao teste do etilômetro são consideradas infrações gravíssimas, que podem levar a suspensão do direito de dirigir por 12 meses, além de multa de R$ 2.934,70.

Veja as desculpas mais comuns:

1-O condutor estava abalado pelo término do noivado e acabou bebendo para “afogar as mágoas”.

2-O motorista alegou que estava com os olhos vermelhos porque São Paulo é uma cidade muito poluída. Mas não era algo para se preocupar, pois já estava indo para o hotel descansar.

3-O condutor estava gripado e, para melhorar, tomou um remédio caseiro feito com mel, vinho do porto e gema de ovo. O coquetel era considerado um fortificante para os brônquios, mas longe de ser uma bebida alcóolica.

4-Havia ingerido bombons de licor.

5-O condutor afirmou que havia utilizado enxaguante bucal e desprevenidamente acabou engolindo o produto.

6-Não fez o bafômetro porque tinha prótese dentária e não quis passar constrangimento, já que tinha muita gente no local.

7-Não tinha ingerido álcool, apenas levado um amigo à rodoviária onde tomou um café com conhaque para melhorar a tosse e a gripe.

8-Estava saindo de um jantar em que comeu um prato que vinha com um molho contendo vinho na preparação.

9-Pede desculpas e promete ao Detran que agora será um motorista exemplar, que nunca mais fará nada errado.

10-A mangueira de combustível do carro estava entupindo o carburador, razão pela qual o condutor precisou succionar o equipamento e, acidentalmente, acabou engolindo álcool. (O Sul)

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Para mais informações, incluindo como configurar as permissões dos cookies, consulte a nossa nova Políticas de privacidade