Na Serra Gaúcha, ciclista cubano abandona a Surdolimpíada e busca refúgio em outra cidade – Porto Alegre 24 horas

Na Serra Gaúcha, ciclista cubano abandona a Surdolimpíada e busca refúgio em outra cidade

Yunior Enrique Días Vazquez estaria refugiado em outra cidade gaúcha.
Foto: Reprodução/Facebook

Compartilhe esta notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on whatsapp

Com encerramento previsto para este domingo (15) em Caxias do Sul (Serra Gaúcha), a 24ª Surdolimpíada sofreu uma baixa nesta semana: a “fuga” de um dos 18 integrantes da delegação de Cuba no evento esportivo, que reúne atletas surdos de diversos países. Trata-se do ciclista Yunior Enrique Días Vazquez.

Ele participava de uma prova na cidade de Farroupilha quando abordou um cidadão local para obter carona até a estação rodoviária mais próxima. Objetivo: deixar a região, sem aviso prévio aos organizadores da competição, intenção que ele concretizou com o auxilio dessa pessoa também na compra da passagem.

Para se comunicar com essa pessoa (um homem de 44 anos), o estrangeiro utilizou um aplicativo de mensagens por celular, pois é surdo – condição que afeta também a comunicação verbal.

De acordo com informações da Polícia Federal (PF), a situação do visitante oriundo da ilha caribenha está aparentemente regular e não há quaisquer fatos ilícitos que pudessem motivar algum plano de deixar Caxias do Sul às pressas.

Ao menos uma testemunha do incidente já prestou depoimento. Pelo que essa pessoa detalhou, Vazquez teria alegado que pretendia deixar o seu país de origem devido a problemas como escassez de emprego, alimento e vestuário. Ela também disse acreditar que não tenha sido um ato de impulso por parte do ciclista, e sim algo pensado há mais tempo.

O site da Confederação Brasileira de Desportistas Surdos (CBDS), responsável pela organização do evento, não menciona o episódio (cbds.org.br). Também não há informações oficiais sobre o local onde Vazquez está no momento – supostamente, ele desembarcou do ônibus em outra cidade da Região Sul do País.

Em seu perfil na rede social Facebook, o competidor menciona vínculo anterior com uma escola de artes na cidade cubana de Jobabo (Las Tunas) e ter como profissão professor de pintura. Não há citação da idade ou detalhes sobre o seu envolvimento com o esporte.

Sua última postagem foi feita no dia 1º de maio (data de início do evento na Serra Gaúcha): uma foto de Vazquez em um aeroporto, vestindo agasalho esportivo de seu país.

Afeganistão

Até agora, os fatos “fora da curva” na Surdolimpíada em Caxias do Sul se resumem, basicamente, a esse desligamento espontâneo do ciclista de Cuba e de um pedido que partiu de dois competidores do Afeganistão.

Eles procuraram o comitê organizador do evento para manifestar o desejo de permanecer no Brasil, mediante asilo político. O seu país de origem voltou a viver dias de obscurantismo desde dezembro do ano passado, quando o grupo taleban – uma milícia fundamentalista islâmica – retomou o poder, após duas décadas de afastamento por forças militares internacionais.

De um modo geral, os estrangeiros que participam da Surdolimpíada em Caxias do Sul e cidades-vizinhas contam com visto temporário, que permite a permanência no Brasil durante o evento – que, de resto, tem transcorrido em clima de normalidade.

(Marcello Campos)

Fonte: O Sul

Mais noticias do Porto Alegre 24 horas

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Para mais informações, incluindo como configurar as permissões dos cookies, consulte a nossa nova Políticas de privacidade